Reclamação em réplicaEm réplica

Cobrança indevida de multa recisória.

Imobiliaria Junqueira
Poços de Caldas - MG
31/08/2021 às 22:04
ID: 128970375
    Status da reclamação:
    Reclamação em réplicaEm réplica

    Aluguei uma casa na Av. Centenário Piracicaba. Só.
    Avia algumas coisas que precisava de melhoria como azulejos do banheiro vidros quebrados.
    Porém na primeira chuva um quarto a parte encheu (literalmente) a laje de água e escorria água até entre as tomadas. (Tenhosl fotos do local) entrei com um pedido e fui informado que precisaria fazer orçamentos para o concerto devido ao tempo e o quarto ser separado acabei isolando o mesmo até que eu encontra-se tempo e alguém para fazer orçamento, embora não concordasse com o pedido pois era um problema que foi foi nitidamente mascarado por pintura. Após aproximados 2 meses notei que o portão da garagem começou a ceder devido ao trinco não suportar o peso do mesmo. E pôs o terceiro mês começou a ter goteiras na cozinha. Fiz o orçamento porém demorou para vir retorno e quando deram notícia disseram que o proprietário que não estava respondendo. Só então depois de incistencia retornaram que os concertos foram recusados.

    A partir daí procurei outra casa e me mudei. Pagando tudo que era necessário ( aluguel até a data, água, luz e cancelamentos necessários). A imobiliária Junqueiras me cobrou a multa recisória mesmo assim e mesmo depois de eu apresentar as provas, deram entrada na Porto seguro como se eu fosse mal pagador e ainda por cima a Porto seguro me ligou e disse que a imobiliária Junqueiras não apresentou as provas que eu avia mandado. Estão dizendo que por eu ter demorado para mandar orçamentos significa que a casa era abitavel. Vamos ver até onde vai este caso. Detalhe: Não recebi formal nem por email e nem por carta qualquer cobrança de multa nem da imobiliária n da Porto seguro. A impressão que dá é que estão tentando encobrir quaisquer provas contra eles. Isto me deixou extremamente chateado em uma empresa que aparentemente parecia ser tão séria.

    Compartilhe

    Resposta da empresa

    01/09/2021 às 10:40

    Prezado Jair, bom dia.

    Após análise do seu caso em conjunto com a seguradora, entendemos que a desocupação antecipada do imóvel pelo suposto motivo de estar inabitável, não é devida.

    Primeiramente, fica esclarecido que no início da locação, o senhor visitou o imóvel e verificou as exatas condições em que o mesmo se encontrava, conforme consta do laudo de vistoria inicial, tendo sido sua opção locá-lo. Todas as contestações feitas acerca dos problemas, já constavam em laudo inicial e foram respondidas a você.

    Segundamente, foi concedido desconto no valor do aluguel em virtude dos problemas, e a locação firmada acabou sendo em valor bem menor do que a avaliação, justamente porque o proprietário entende que o locatário poderia realizar e arcar com os reparos, se assim desejasse.

    Portanto, como a decisão de locar e rescindir o contrato partiu exclusivamente do senhor, inquilino do imóvel, não há que se falar em inabitabilidade com consequente isenção de multa.

    A imobiliária Junqueira lhe informou sobre o valor da multa contratual nas tratativas realizadas antes da rescisão e reiterou na data de entrega das chaves, que ocorreu em 23/06/2021.

    Permanecemos à disposição para lhe prestar quaisquer informações que fizeram-se necessárias.

    Atenciosamente,

    Imobiliária Junqueira

    Réplica do consumidor

    12/09/2021 às 21:16

    À
    Imobiliaria Junqueira


    JAIR FRANCISCO, inquilino da residência da Avenida Centenario 568 São Dimas- nesta, vem apresentar

    NOTIFICAÇÃO

    a imobiliária ou quem lhe fizer as vezes, pelos motivos de fato e de direito agora alegados:

    O inquilino deixou as chaves na imobiliária no dia 26/06/2021 , sendo que a imobiliária alegou que a multa recisória era devida.

    Ocorre que, no laudo de vistoria de entrada constava, com marcas de umidade e não extremos vazamentos e goteiras. Foi constatado o motivo do mesmo por orçamento, pago pelo inquilino, que o problema se originava em taves do telhado quebradas, sendom por desgaste natural, este inquilino fez de tudo para comunicar a imobiliária, incluindo se oferecer a fazer os reparos e descontar nos alugueis posteriores, que nada fez a respeito.



    Dessa forma, devido a inabilidade teve que deixar o imóvel, por não ter condições de residir no no imóvel (INABITALIDADE).

    Assim diz a lei do Inquilinato:

    Art. 22. O locador é obrigado a:
    I - entregar ao locatário o imóvel alugado em estado de servir ao uso a que se destina;

    Assim, entregue ao inquilino já com defeitos estruturais advindo vazamento do telhado, não há condições perfeitas de moradia nos termos e condições para moradia, a prova de não habitualidade pertence à imobiliária, SENDO PATENTE [Editado pelo Reclame Aqui]da imobiliária para forçar o inquilino pagar reparos e multa contratual.


    Piracicaba, 12 de setembro de 2021.


    JAIR FRANCISCO FILHO

    Réplica do consumidor

    12/09/2021 às 21:16

    À
    Imobiliaria Junqueira


    JAIR FRANCISCO, inquilino da residência da Avenida Centenario 568 São Dimas- nesta, vem apresentar

    NOTIFICAÇÃO

    a imobiliária ou quem lhe fizer as vezes, pelos motivos de fato e de direito agora alegados:

    O inquilino deixou as chaves na imobiliária no dia 26/06/2021 , sendo que a imobiliária alegou que a multa recisória era devida.

    Ocorre que, no laudo de vistoria de entrada constava, com marcas de umidade e não extremos vazamentos e goteiras. Foi constatado o motivo do mesmo por orçamento, pago pelo inquilino, que o problema se originava em taves do telhado quebradas, sendom por desgaste natural, este inquilino fez de tudo para comunicar a imobiliária, incluindo se oferecer a fazer os reparos e descontar nos alugueis posteriores, que nada fez a respeito.



    Dessa forma, devido a inabilidade teve que deixar o imóvel, por não ter condições de residir no no imóvel (INABITALIDADE).

    Assim diz a lei do Inquilinato:

    Art. 22. O locador é obrigado a:
    I - entregar ao locatário o imóvel alugado em estado de servir ao uso a que se destina;

    Assim, entregue ao inquilino já com defeitos estruturais advindo vazamento do telhado, não há condições perfeitas de moradia nos termos e condições para moradia, a prova de não habitualidade pertence à imobiliária, SENDO PATENTE [Editado pelo Reclame Aqui]da imobiliária para forçar o inquilino pagar reparos e multa contratual.


    Piracicaba, 12 de setembro de 2021.


    JAIR FRANCISCO FILHO

    Está com problemas com Imobiliaria Junqueira?

    Reclamar